Dropdown Menu

6 de setembro de 2017

The Hangover


Autor: TheMorganah
Hack finalizada - 53 saídas
Emulador usado na review: Snes9x v1.53
Não testado no zsnes, por ser uma hack recente.

"Depois de encher a cara de cerveja em uma despedida de solteiro, Mario e Luigi acordam em uma ilha tropical chamada Tropicalia. Será que nossos herois irão conseguir voltar para casa antes que Peach descubra?"

Mais uma review para o blog, dessa vez de uma hack brasileira! E pra mostrar que os BRs mandam bem, aí temos uma hack média, com 53 saídas e pouco mais de uma hora de entretenimento. Porém, será que vale a pena jogar esta hack? Vejamos nesta review.

Um dos grandes destaques desta hack é o fato de ser feita em pt-br, por isso dá pra encontrar algumas referências e piadas. Muitas das referências são relacionadas com animes, inclusive o jogo segue uma história de um personagem que, aparentemente, curte muito bem esse "universo". Quem conhece animes provavelmente vai curtir esse jogo. As referências mais fáceis de entender são também as mais engraçadas, como a que um "crazy" lemmy koopa faz em um dos castelos da hack. Na parte gráfica, o autor acertou na combinação de bg/fg/sprites, e em praticamente todas as fases não houve dificuldade visual em enxergar os inimigos e plataformas. Muitas das fases são muito bonitas, e o interessante é que em alguns casos foi usado algo do jogo original também (como o bg de caverna na "caverna de sorvete"), porém com mudança na palleta de cores. As músicas são muito boas também, e muitas das escolhas combinaram muito bem com as fases. O único problema em relação a elas é que algumas músicas de touhou ficaram bem altas na hack. Não é algo extremamente ruim ou insuportável, mas incomoda um pouco.

Em relação ao level design, foi possível perceber que, embora o jogo tenha muitas fases, grande parte delas são muito curtas, e em alguns casos os levels terminam cedo demais, dando uma sensação de que faltou alguma coisa. Não existe saída secreta nesta hack, o que prejudica o fator de exploração e deixa o jogo muito linear. Em algumas fases, o nivel de dificuldade fica desproporcionalmente maior, e isto geralmente ocorre por causa de alguns inimigos que aparecem de surpresa, ou porque eles são mais dificeis de derrotar. Alem de todos esses fatores, ainda tem o fato de, em algumas fases, ser necessário trazer algum powerup de outra fase para passar por algum obstáculo. Quando isso se torna rotineiro, o jogo pode se tornar frustrante. O walljump utilizado nesta hack não funciona muito bem. Em diversos momentos quando se tenta fazer o walljump, ele não funciona, e isso fica evidente caso o mario esteja com a capa. O detalhe é que este walljump só funciona uma vez em cada parede, então para dar walljump novamente, tem que alternar de parede. Existe um level neste jogo que obriga o uso do walljump, e foram necessárias cerca de 40 tentativas até conseguir passar por ela. E pra completar, o autor deve tomar cuidado ao usar blocos invisíveis, já que elas podem complicar bastante a vida do jogador (que nem aconteceu com um certo redator, sabe...).
Bom, a hack no geral é muito boa, e, embora tenha esses empecilhos, é um ótimo jogo para passar o tempo e curtir as referências um pouco.



Dificuldade: 2/5
Sem grandes dificuldades no geral. Só tomar cuidado com alguns castelos que tá tranquilo.

Jogabilidade: 7/10
Grande parte dos levels são bem diretos, sem o fator de exploração. O fato de não haver saídas secundárias em nenhuma das fases tira a liberdade em explorar mais da hack.

Gráficos: 9/10
Muito bons no geral, combinando muito bem com os levels.

Músicas: 9/10
Muito bons também, e o melhor foi as referências a certos temas clássicos, como o halloween.

O mapa: 7,5/10
Bem feito até, mas poderia ter sido melhor explorada.

Criatividade: 9/10
Só a história pode ser considerada uma das mais engraçadas até então.

Nota final: 8/10
Esta não é a melhor hack de smw existente, mas é uma das mais engraçadas. Vale a pena jogar pela história e pelas referências.

10 comentários: