quinta-feira, 25 de maio de 2017

A Very Super Mario World


Autor: SchwerMuta
Hack finalizada - 120 saídas
Emulador usado na review: snes9x v1.53
Há bugs de música em algumas fases, mas é possível jogar sem grandes problemas

PS: como a história é exatamente a mesma do jogo original, então fica sem plot.

Mais uma review para o blog, e desta vez esta hack deu trabalho. Trata-se de 120 saídas, espalhadas por onze mundos com variedade, gráficos customizados e muita criatividade, certo? Ahn...nem tanto. Começo meio estranho, porque era de se esperar mais desta hack, e menos também. Tá estranho, né? Vamos detalhar esta analise então.

Como já foi mencionado, são onze mundos, sendo oito mundos tradicionais, um mundo "secreto", uma star world e um mundo "super secreto", este último sendo o mais difícil da hack. Nestas fases, o jogador deve lidar com desafios bem conhecidos de jogos de plataforma, com referencias obvias aos jogos da série Mario Bros. Existem muitos inimigos conhecidos da série, como as "Venus Fire Traps" e os "Hammer Bros" e suas variações (Shell, boomerang, fire, bullet e sledge bros), além dos inimigos tradicionais do jogo. Muitas referências a estes jogos podem ser percebidas também através de fases temáticas, como as com inimigos gigantes. O jogo é bem variado em relação as fases em si, tendo todo tipo de fase possível de se imaginar: autoscroll, plataforma de linha, montanhas, castelos, etc. Até um elevador de lava tem nesta hack, e bem desafiadora.
As fases possuem dificuldade variada, e embora o autor tenha informado que a dificuldade seria gradual, não foi isso que foi percebida na hack. Alguns dos problemas que envolvem a dificuldade são escolhas injustas, como o spam infinito de bullets em uma fase aleatória e um labirinto de jelectros junto com bloopers. Além disso, em determinados momentos o autor repetiu o mesmo padrão em levels seguidos, incluindo o uso repetido (e irritante) das venus fire plants, e nos momentos mais inoportunos possíveis. Falando em fases, uma coisa inesperada (e triste) de se esperar foi perceber que as fases nos últimos mundos não são somente difíceis. São difíceis e longas! Tanto é que o tempo gasto nas duas ultimas fases da hack é suficiente para passar metade da própria hack sem maiores dificuldades. O fato delas serem longas faz com que o jogo fique chato, perca o fator entretenimento que ela proporcionou anteriormente com as fases dos mundos tradicionais. Em outras palavras, o maior desafio em fazer uma hack longa é fazer com que ela mantenha o jogador interessado em terminar ela, sem fazer ele cansar do jogo. Caso contrário fica um jogo cansativo e que não precisava ser tão longo assim.

Em relação a criatividade, bom, a hack tem o mesmo plot do jogo original, então é bem dificil de se perceber algo de novo nisto. Fora este ponto, o autor foi criativo ao escolher boa parte dos gráficos da hack. Em diversos momentos foi possivel perceber o uso de gráficos vanilla com gráficos custom conhecidos da série, alem de escolher cores que combinem com o ambiente. No entanto, em algumas fases de caverna, o bg escolhido prejudicou muito a visão, além do autor ter optado em um level por um bg com alternancia rápida de cores, o que pode ser um problema pra quem tem epilepsia. As escolhas das músicas foram boas em sua grande maioria, destacando algumas fases de água (como a do bg abaixo) e algumas de touhou (inesperadas para o momento). O problema é que algumas delas não combinaram muito com o momento e com o cenário, o que deixou a gameplay estranha.





Dificuldade: 5/5!
Começa bem fácil realmente, mas depois fica insano. Passar por um labirinto de jelectros com uma chave fugindo de um phanto nunca foi tão frustrante;

Jogabilidade: 8/10
Sem grandes problemas em relação a jogabilidade, exceto por desviar de obstáculos injustos que aparecem de vez em quando na hack (vide imagem acima)

Gráficos: 8/10
Cumprem bem o seu papel, mas poderiam ser melhores.

Músicas: 8/10
Muito boas em geral.

O mapa: 8,2/10
O autor usou grafícos vanilla para o mapa, mas refez ele por completo. Ganhou um 0,2 a mais por causa do lakitu aleatório voando no mapa.

Criatividade: 6/10
A história é a mesma, além disso deu pra perceber o uso do mesmo gráfico de bg e fg diversas vezes em um único submapa. Detalhe que isso não ocorreu nos outros submapas.

Nota final: 8/10
É uma hack longa e trabalhosa. Vale a pena somente pra quem quiser um desafio com inimigos de smb3, além de passar por muitas horas jogando. Essa hack pode render até dias, pra quem não for muito familiarizado com hacks de super mario world, então save states são recomendados!


Nenhum comentário:

Postar um comentário