domingo, 4 de dezembro de 2016

Cartuchito World



Autor: MaxwelHacks
Hack Completa: 21 saídas
Emulador Utilizado: Snes9x 1.51



Se você gosta muito dos canais do YoutubeColônia Contra Ataca e/ou Gato Galactico acho que é bem provável que você irá gostar dessa hack.


Maxwel Olinda é caracterizado pelas suas hacks envolvendo o Sr Wilson do canal Colônia Contra Ataca, com as hacks Super Sr Wilson 1, 2 e 3. Tentando continuar suas homenagens, decidiu criar mais uma hack, só que agora inspirada no canal Cartuchito. É posível notar uma grande melhoria em relação as hacks anteriores. Para quem não conhece, Cartuchito é um canal no youtube que na época que a hack foi lançada, undia o canal Colônia Contra ataca e o Gato Galáctico em gameplays de jogos coperativos


Ao iniciar o jogo,somos apresentados com as vozes do Sr. Wilson e Ronaldo dizendo "Cartuchito!", e em seguida, cutscenes (algumas usando o Mode 7 do SNES) contam uma história simples que até mesmo o autor recomenda não levar a sério

Após recuperar três cartuchos dourados cheios de poder, Sr. Wilson, por algum motivo desconhecido, descobre que existe um mundo repleto de doces e muito pudim, chamado de Mundo Doce. Neste mundo, há o chamado “Cartuchito”, que é um cartucho de videogame sorridente, o mais importante de todas as fitas de lá. Existe lá também uma Guitarrinha, muito famosa, e que também é amiga de Sr. Wilson e Ronaldo




Mas, certo dia, um Rei Doce Malvado sequestra o Cartuchito e a Guitarrinha. Resta para Sr.Wilson e Ronaldo enfrentarem esse malvadão e salvar seus amigos.

É possível controlar os dois jogadores apenas com o primeiro controle, sendo que o jogador 1 será o Sr. Wilson e o player 2 será o Ronaldo. Isso faz que, quando o game é jogado em multiplayer, um dos dois jogadores tenha que passar o mesmo controle para o outro, quando ele perde.






O gameplay é bem tradicional ao que estamos acostumados em Super Mario World. Porém, é possível quicar nas paredes e o power-up “Pena” não existe nas fases. Mesmo assim, a jogabilidade varia diversas vezes durante o jogo, com chefes gigantes muito bem construídos, puzzles, e momentos que temos que fugir de algo nos perseguindo (quicando em paredes, subindo em plataformas, não deixando que encoste em você). E algumas outras situações que eu gostaria de destacar mais por serem pouco utilizadas em SMW Hacks, como:


Responder uma prova de perguntas e respostas sobre a hack Cartuchito e o Super Nintendo (com alternativas A, B, C);


Controlar em alta velocidade desviando de obstáculos como em jogos do gênero "EndlessRunning 2D". Nessas partes, você praticamente não tem controle do personagem, só podendo fazê-lo pular nos momentos certos para não bater em alguma coisa ou ser afetado pelos inimigos.

e correr contra o Sonic(pena que não é necessário vencer para passar de fase. Ou seja, é quase inútil ele estar correndo contra você XD)

Outro destaque são as lutas contras os chefes. Sua dificuldade é fácil, durante boa parte do jogo, exceto nos últimos chefes. Conforme nos aproximamos do final, é possível perceber que a dificuldade nos bosses vai aumentando cada vez mais, porém, de forma bem equilibrada.


Oh, Boy!

Correndo contra um Sonic Nanico

Um dos melhores mundo da hack

O objetivo principal da hack é fazer com que você encontre os quatro mundos no jogo através do "Switch Palaces" para liberar um caminho que, no final, irá levar ao terrível Rei Doce Malvado. Cada caminho irá levar à um mundo diferente. Fazer isso faz com que o jogador explore bastante as fases em busca de chaves que iram liberar caminhos para esses enormes botões. Infelizmente, a hack é bem curta, com um mapa geral bem simples.


 Para encontrar as chaves, não acho que seja um desafio, estão em lugares bem fáceis de se encontrar. Mas, apesar de fácil, talvez seja trabalhoso ter que percorrer grande parte das fases para encontrar os “buracos” das chaves, fazendo com que você possa perder a chave no meio do caminho ou morrer até chegar na “fechadura”.

Falando um pouco sobre os gráficos, eles são bem selecionados e bonitos. Muitos foram criados pelo próprio autor. Ficaram bem detalhados, especialmente se comparado à trilogia Super Sr. Wilson World, que o personagem principal foi pouco alterado com cenários muito parecidos aos de SMW. Esse foi um dos aspectos essenciais para que eu considerasse Cartuchito World melhor que as hacks anteriores de Maxwel.


A música também foi muito bem escolhida e todas combinam com as fases. Inclusive, algumas foram portadas  pelo próprio autor, como o tema do jogo “Gauntlet”. Apesar de serem poucas, a inclusão de vozes em algumas partes também foi uma ótima adição à hack.

Vale notar também, creio eu, que o canal Cartuchito, do YouTube, não tem um enredo específico, sendo apenas um canal de gameplays cooperativos com comentários. Reunir informações e referências para criar um jogo baseado nisso, provavelmente não foi fácil. Mas, o autor da hack conseguiu! E de uma forma muito boa. Portanto, acho que merece elogios por isso.



O autor também conseguiu inserir um sistema de conquistas à hack, se ela for jogada através do site “Retro Achievements”Para quem não conhece, esse site é focado em criar “metas” para vários jogos de Super Nintendo e Mega Drive. São objetivos que devem ser cumpridos pelo jogador, e, a cada meta cumprida, ele pode exibi-las na sua conta para que outros possam ver.

Se você tiver mais dúvidas sobre a emulação desse jogo; está tendo problemas ao executá-lo; quiser rodá-lo em consoles que suportam homebrews ou até gravar a sua própria fita para jogar em um Super Nintendo real, sugiro que o leia o Manual do Cartuchito, que está junto com o download dessa hack (zipado com o arquivo IPS). 


Dificuldade: 3/5
Sobre a dificuldade, durante uma boa parte, é fácil. Apesar disso, acho que não é muito complicado, apenas “tentativa e erro”, até se acostumar com a fase. O ultimo chefe, porém, eu esperava um desafio maior.  Ele é um pouco mais difícil que os demais bosses do jogo, mas, não acho que ele tenha uma dificuldade muito elevada, como geralmente acontece no último chefe de um game.

Jogabilidade 8/10
Apesar de bem tradicional ao que conhecemos em SMW (exceto pelos walljumps), a hack varia bem os “objetivos” em cada fase, conforme anteriormente explicado nesta review. Isso ajudou para que ela não ficasse repetitiva e fosse bem mais memorável para os jogadores, mesmo sendo curta.

Gráficos: 8/10
Apesar de um visual na maioria das vezes simples, muitas vezes o jogo me surpreendeu por seus gráficos, como os bem detalhados e gigantes chefes. A hack também faz um bom uso de custom sprites

Mapa: 6/10
É um mapa bem simples e com poucos gráficos modificados, geralmente, exceto por alguns mundos. Apesar da hack ser curta, imagino que o autor soube distribuir bem as fases, criando outros mundos a partir de um único, ativando os Switch Palaces, apenas para abrir uma passagem secreta que levara ao Rei Doce Malvado.

Música 9/10
Realmente muito boas e se encaixam muito bem as fases. Mesmo sendo uma hack curta, os temas foram bem variados. Como dito antes, algumas foram ripadas pelo próprio autor. A hack também possui vozes em alguns poucos momentos.

Criatividade:  8/10
Por que eu acho essa a melhor hack do Thuthumerdinha? É simples.
O level design de Cartuchito é bem mais diversificado que as demais hacks que ele fez, fazendo com que você explore mais os cenários. Também há pouca repetição de inimigos

A mudança de gameplay ao decorrer do jogo foi um ótimo atrativo.
Porém, acho que o fato do jogo ter alguns backgrounds e foregrounds de castelos repetitivos e utilizar muito inimigos do Mario fizeram com que não ganhasse uma nota maior. 


Nota final: 7,8/10
Concluindo, é uma hack boa e acho que é essencial que você jogue ela, se é realmente um fã do Cartuchito


2 comentários:

  1. Como digo na análise, na minha opinião, os caminhos secretos são fáceis de se desvendar. Porém, tem um em específico que me incomodou um pouco e, apesar de ser spoiler, eu irei falar sobre ele para que você não se irrite ou fique confuso demais com ele. Mencionar ele também dará a oportunidade de eu mencionar o que eu imagino ser um erro na hack. É um detalhe bem pequeno, mas, mesmo assim, acredito ser um erro:

    Na fase “Templo do Submundo”, existe uma chave que levará à um caminho secreto. É de se supor que o jogador deveria encaixá-la em uma fechadura, como em todas as outras fases. Sendo assim, eu fiquei um bom tempo apenas “rodando” com a chave na mão não fazendo idéia de onde procurar mais. Até que, por um acaso, esbarrei num cano e foi teletransportado para outro cenário do nada.

    Isso foi bem estranho para mim. Eu já havia tentado entrar nesse cano antes, porém, sem a chave na mão. Não posso deixar de notar o quão aleatório foi encontrar esse caminho, porque o jogo não te dá indicação alguma de que chaves também podem funcionar em canos – por mais estranho que isso me pareça.
    Então, para não ficar perdido, como eu fiquei, sugiro que se lembre disso. Acho que deveria existir ao menos alguma coisa indicando esse detalhe da jogabilidade, mas, se existe, eu não notei porque essa informação não ficou suficientemente clara durante o jogo.

    ResponderExcluir