quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Super Mario 2D Land

 Autor: Alex No
Jogo Finalizado: 87 exit(s) 
 Emulador: SNES9X

Ola Pessoal, depois de muito tempo sem postar no blog (e bota tempo nisso), estou aqui novamente trazendo pra vocês uma review de uma hack muito boa.

Trata-se de Super Mario 2d Land, uma hack gigantesca com muitas fases novas e com mecânica baseada no jogo de nome similar Super Mario 3D Land do Nintendo 3ds.
O jogo tem uma história bem simples, Bowser sequestrou a princesa denovo e agora ainda conta com a ajuda do Capitão K.Rool (Sim, o vilão dos jogos do Doneky Kong porque não?) e de varios outros aliados ao seu lado para derrotar o encanador.

Castelo da Princesa.

Os gráficos da hack são variados e bonitos, grande parte deles tirados de cenários belíssimos de outros jogos e outros desenhados por usuários do SMWCentral, e há ainda alguns de Super Mario Bros 3, Wario Land, Yoshi Island e mais.
Um grande destaque pra mim é o fundo da primeira fase da hack, que no caso é o mesmo mostrado abaixo.

As musicas da hack não são muito variadas mas cumprem bem seu papel, há muitas musicas boas como o tema principal do Super Mario 3D Land e os temas das batalhas de chefe, mas tambem tem outras bem genericas como por exemplo, as de Super Mario Bros e Super Mario Bros 3, na minha opinião eu trocaria algumas musicas do SMB3por alguma outra mais agitada ou que funcione no cenario, pois essas musicas ja estão bem batidas de tanto serem usadas nas hacks.

O mapa da hack é bem simples, é ao estilo Super Mario Bros 3 mas geralmente cada mundo é apenas um caminho curto com 4 fases e um Castelo, ja os mapas dos mundos extras estão.

Esse é o mapa mais linear que eu ja vi na minha vida!

A jogabilidade continua praticamente a mesma do jogo original, a unica novidade aqui são as A-Coins.
Essas moedas funcionam como se fossem as "Star Coins" do jogo Super Mario 3D Land, você deve coleta-las para abrir novas fases secretas no jogo, ja que praticamente a hack é linear e mal possui saidas secretas.
Ao terminar os primeiros 8 mundos as A-Coins serão necessarias para abrir os 8 mundos restantes, ou seja um total de 16 mundos, um tamanho gigantesco pra uma hack.
A dificuldade tambem é bastante balanceada e gradual a cada mundo, mas há alguns saltos de dificuldade inesperados as vezes, por exemplo na batalha contra os Koopa Bos, mas com pratica você acaba passando deles.



Com isso vamos a avaliação da hack:

Dificuldade: 3/5
A dificuldade é razoalvel e gradual, as fases normais são tranquilas mas os castelos ficam complicados em algumas partes, e o chefe Koopa Bros é o que chamamos de "dificulty spike" pois ele é dificil pra caramba em uma parte não tão dificil do jogo.
Jogabilidade: 8/10

Basicamente a jogabilidade classica, com a adição do sistema de das A-Coins.
Gráficos: 10/10
São belissimos e variados, alguns são customs e outros são de diversos jogos.
A hack é belissima graficamente.
Mapa: 7/10
É um mapa bem simples, na verdade achei esse o ponto fraco, o mapa só existe por existir mesmo.
Ele é bem linear e sem emoção, e não tem nem exploração ja que a hack não tem saidas secretas.


Criatividade: 8/10
Os temas das fases são bem feitas, não é aquela criatividade espetacular mas é divertido e foge um poucos dos padrões gerais do SMW.


Nota Final: 8,0
Os temas das fases são bem feitas, não é aquela criatividade espetacular mas é divertido e foge um poucos dos padrões gerais do SMW.



Nota: 9/10

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Hack 4


Autor: Golden Yoshi
Hack Finalizada (11 saídas)
Emulador Usado: ZSNES 1.51
Olá amigos, estamos aqui com mais uma hack de puzzle! mas não pense que essa é uma hack mixuruca só por causa do nome estranho da hack, ela é muito criativa. Sem mais enrolações, vamos lá!

A hack tem uma proposta bem simples: cada nível tem sua mecânica específica, em que toda a fase se baseia, criando uma fase desafiadora e divertida. A maioria dos puzzles se baseiam no raciocínio rápido do jogador, o que faz o jogador ter que entender bem as mecânicas propostas para avançar nas fases, que apesar de serem relativamente curtas, não deixam de ser desafiadoras.

Quanto as mecânicas usadas na hack, cada uma delas é bem pensada e criativa, umas são simples, mas outras são totalmente diferentes da maioria das coisas que você já viu em hacks, por exemplo, a de criar clones do Mario que se você pular em cima... explodem!! (particularmente a minha favorita :p)

Indo para gráficos, eles são ótimos e combinam muito bem um com os outros, apesar da hack não se preocupar tanto nisso, foi feito um ótimo trabalho, o que também vale para as músicas, uma mais básica que a outra, mas que de qualquer jeito conseguem funcionar com o ambiente, então não temos muito o que reclamar. Enfim, é uma hack curta mas que não perde seu charme, apesar de deixar aquele gostinho de quero mais, então, vamos para as notas:

Dificulade: 3/5
Apesar de te dar um bom desafio, as fases são curtas, o que a deixa relativamente masi fácil.

Jogabilidade: 10/10
Mecânicas muito bem utilizadas e fases bem montadas criam uma ótima experiência.

Gráficos: 9/10
Muito bons, e bem feitos que combinam uns com os outros

Músicas: 7/10
Simples, mas que dão certo.

Mapa: 9/10
Bem bacana e com levels muito bem distribuídos,

Criatividae: 10/10
Eu preciso dizer algo além de ''clones do Mario que explodem''??

Nota Final: 9/10
Uma ótima hack para qualquer tipo de jogador, mesmo precisando de um pensamento rápido, infelizmente é bem curta e como eu já disse, deixa aquele gostinho de quero mais


DOWNLOAD 
 

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

The Way of the M

Autor: levelengine
Hack Finalizada: 80 saídas
Emulador Utilizado: Snes9X

Olá galera! Primeiramente, feliz Día de Los Muertos. Nesta data muy caliente, vamos dar uma olhada em uma hack um pouco mais comprida, já que essas estiveram um pouco escassas no blog. Começando com a história:
"Mario vai ao reino de Invaria para redescobrir o que ele era realmente bom em fazer. Ele também ouve rumores sobre um "Império das Máquinas"..."

A história parece genérica, mas se desenvolve em algo mais plausível, acreditem. Quando vamos pela primeira vez ao overworld, podemos ver que ele é algo que foi feito meio que de última hora, genéricamente. Pouca decoração o fez ficar vazio e sadboy solitário. 
Mas não estamos aqui para ficar vendo mapinhas certo? Dê uma caminhada pelas fases e verá que temos músicas muito boas, que se ajustam à intensidade do nível. Em algo mais difícil e rápido, a música é de uma escolha mais intensa e ousada. Pelo outro lado, uma fase mais fácil, com menos inimigos, ou um calmo autoscroll, tem uma música com um tom mais ambiente. O que com certeza foi um ponto negativo foi o leque menos variado em alguns mundos, como o terceiro, em que existem apenas 3 ou 4 músicas para incríveis 7 fases. Aqui, você encontrará Mario 64, Yoshi's Island, Castlevania, etc.
Os gráficos utilizados são todos vanilla, mas frequentemente utilizam de cores alteradas e mesclamento de blocos, como o visto na imagem acima. Esses, combinados com mecânicas de layer 2, conseguem se salvar e até transmitem algo mais agradável do que muitos gráficos custom por aí. Mas, se o autor tivesse optado por gráficos realmente customizados, tenho certeza de que seriam muito bem utilizados, visto o seu gosto musical e de level design.
Falando nisso, podemos entrar no level design. Este é mais um ponto forte da hack, em que o autor posiciona obstáculos, inimigos e outros sprites em lugares estratégicos, onde o jogador tem um espaço aberto para sua reação. É um design que realmente testa o jogador como um jogador casual, e não como um asiático profissional manjador dos paranauê.
A hack possui mecânicas interessantes que utilizam bastante do nosso querido layer 2. Aguinhas que atravessam a sala, plataformas que se mexem com coisas se mexendo nelas, e etc. Claro, temos outras mecânicas como a utilização de escravos Chucks quebradores da bagaça toda, e algumas reações em cadeia de cascos.
A dificuldade da hack é algo que podemos analogar com uma vasilha. Começa alta, fica baixa no meio e volta pra alta (tava ruim, aí foi bom, ficou ruim, agora parece que piorou). Claro que ela possui suas discrepâncias, principalmente no início, mas algumas fases do segundo e terceiro mundo são tão difíceis quanto as do último mundo.


Acho que estou sendo stalkeado...
Psicopatia.


Notinhas!

Dificuldade: 4/5
Se você conseguir jogar absolutamente todas as fases sem nem pensar em um rewind, sinta-se recompensado com meu elogio.

Jogabilidade: 9/10
Inimigos bem posicionados, mecânicas de layer 2, cascos pra todo o lado. TOP.👌

Gráfico: 8/10
Uma customização bem feita considerando-se apenas o Lunar Magic.

Música: 8.5/10
Escolhas bem feitas de acordo com a intensidade da fase, só faltou variedade.

Mapa: 7.5/10
Sem gráficos custom, sem decoração, só está ali por estar ali mesmo.

Criatividade: 9/10
A criatividade do autor se espelhou principalmente na jogabilidade e na música, mas teria potencial para o gráfico e o mapa.

Nota Final: 8,4/10
Concluindo a review, é uma hack que provavelmente merece a sua atenção e que você gostará, apesar da falta de gráficos e repetição de música. É uma peça peculiar, que se destacou um pouquinho das outras. Valeu, muchachos!

domingo, 29 de outubro de 2017

Especial de Halloween: 'the



Faz um tempo que a hack 'the foi postada no blog, quando eu fui jogar pela primeira vez, achei ela bem interessante, mas bem simples, em menos de 15 minutos conseguir pegar 2 finais da hack. Eu pensava que eu tinha feito tudo que a hack poderia oferecer, mas estava enganado. A hack tem muitos mais misterios que eu imaginava, e apenas olhando em todos os pontos para descobrir toda a verdade dessa hack.

Para esse evento de halloween, estarei fazendo uma review especial da hack 'the, contendo todos os finais, segredos e curiosidades que a hack possui, eu recomendo bastante vocês jogarem a hack antes de verem a review especial, para aproveitar de todo o terror inicial que a hack possui.



Um feliz Halloween a todos!

domingo, 22 de outubro de 2017

The Fall Festival

Autor: Snifit 
Hack Finalizada : 1 saída
Emulador utilizado: Snes9x

Aproveitando o clima de Halloween, apresento a The Fall Festival, uma hack que participou de um concurso no SMWCentral de hacks de Haloween, ela é perfeita para aqueles que querem jogar uma hack com esta temática, mas que ao mesmo tempo possuem medo de jogos de terror.


A história basicamente se trata do Mario sendo convidado pela Peach à participar de um festival de Halloween, sendo que ao chegar lá, ele não encontra ninguém, até que ocorre um clarão e Mario se vê perdido em uma floresta sombria

A exploração deste ambiente desconhecido é a essência do joguinho, trazendo este clima de halloween para a hack, durante o percurso você encontrará algumas criaturas estranhas e bastantes caminhos para ir, sem jumpscares ou qualquer coisa do tipo que possa alterar seus batimentos cardíacos





A hack possui três finais diferentes, onde todos eles são bons (Isto é dito no próprio"readme" que acompanha a hack, então acredito que não seja um spoiler), sendo o caminho que você escolheu o único fator que determina o final que você vai pegar , lembrando que  nenhum deles envolve puzzles. 

A hack também possui bastantes gráficos customizados, o cogumelo se tornou um frango e as moedas são sacos de dinheiro, o foreground possui bastante decoração e as sprites variam de engraçadas como koopas fantasiados, até as mais "spookys" como os vários "Marios" aleatórios pendurados em cordas, algumas salas em específico também possuem uns efeitos gráficos interessantes, como de névoa ou de "tela escurecendo". Durante o jogo é tocado apenas as músicas padrões do Super Mario World original e a hack faz uso de checkpoints, evitando assim a repetição de textos e da introdução da hack.






Dificuldade 3/5
Se você pensar antes de fazer seus movimentos (algo que eu deveria fazer) a hack vai ser bem tranquila de ser finalizada, ainda mais pela a grande quantidade de "cogumelos" disponíveis

Jogabilidade 9/10
Sem mortes injustas, salas que tornam o gameplay mais variado e é bem dedutivo encontrar os três finais da hack    

Gráficos 8.5/10
Os gráficos customizados estão por toda a parte, alguns reaproveitando gráficos do SMW original, alguns servindo de memes e outros mais "spookys"

Música -/-
Padrão do SMW

Mapa 7/10
Digamos que para uma hack de concurso de level design com apenas uma fase, o mapa é um tanto quanto irrelevante, então apesar do mapa da hack ser super simples, vou deixar esta nota representando um mapa simples

Criatividade: 8/10
Uma história onde acontece algo misterioso do nada não me parece ser uma das histórias mais criativas (Espírito do Halloween), vou deixar esta nota representando o clima que a hack consegue criar e a criatividade que existe em algumas salas e gráficos customizados.

Nota Final: 8/10
Uma hack curta com bastante coisa para explorar e que pode ser jogada casualmente. Como a hack não é assustadora o suficiente vou colocar um gif que apenas os fortes conseguem olhar sem ficar com pesadelo na noite seguinte. ---> gif

Download

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Game.bps


Autor: Wakana
Hack Finalizada: Sem saída
Emulador: Snes9X 1.53

Halloween chegando e nada melhor do que um jogo de terror, não é mesmo? E se você é um daqueles seres humanos que adora levar um susto, essa hack foi feita pra você. Acha que estou brincando? Então se prepare para conhecer a melhor experiencia da sua vida através da simpática e adorável mais nova criação de Wakana Satan: Game.bps!


"Eles estão tão tristes, acho que vou dar um abraço neles! :3"

A hack é bem simples: você está preso em uma mansão cheia de portas trancadas com chaves na qual deverá encontrá-las para conseguir ver a luz do dia. Existem vários cômodos, desde um porão abandonado até uma sala de tortura cheia de sangue (credo). A dificuldade aqui é absurda, tanto é que powerups é uma coisa tão rara quanto chuva no sertão.
Aqui, a trilha sonora é mórbida e sem vida, literalmente são batimentos cardíacos de alguma coisa que está ali, escondida te observando. Quando você menos espera, a música pode ficar mais alta ou mais rápida...  é como se algo muito ruim estivesse para acontecer. SOCORRO

"Um cogumelo estranho ao lado de uma porta... o que pode dar errado?"

Porém, a hack foi criticada por alguns jogadores por se tratar de um jogo muito difícil, além do fato de não existir checkpoints em vários pontos da fase. Na teoria isso não afeta ninguém já que hoje em dia existe savestates mas imagine jogar isso no próprio SNES e quando estiver perto de zerar a hack você acaba morrendo.
Por outro lado, não é algo tão ruim assim. Se você é um daqueles jogadores que curtem um bom desafio (e amou quando Cuphead foi lançado)... por favor,  ignore tudo e apenas se divirta, ok?

"Uma das mensagens mais bonitas do jogo"

Bem, apesar da imensa dificuldade e seus sustinhos agradáveis, a hack esconde vários segredos, ou para os íntimos: Easter Eggs. Durante a jogatina você irá perceber a presença de mensagens codificadas e músicas reversas. Isso acaba se tornando um bônus pra quem adora um enigma!
Outro exemplo são os famosos triggers que são ativados através das inúmeras portas presentes no jogo. Se você fizer a sequencia correta ao entrar em certas portas, conseguirá acessar alguma zona secreta da mansão, como o charmoso Porão Lilás (ou Purple Basement).

"Não chore pelo sangue derramado... não, espera."

Dificuldade: 4/5
Uma hack muito difícil, recomendo o uso de savestates (pelo menos dessa vez, ok?)

Jogabilidade: 7/10
Desvie de inimigos, destranque portas, leve sustos e deslize em poças de sangue.

Gráficos: 8/10
Uma balança entre cores vibrantes e cores frias deram um toque á mais ao ambiente.

Músicas: 9/10
Jogar com fones de ouvido é uma maravilha.

Mapa: 9/10
O que você mais vai ver é o mapa (além dos jumpscares, é claro) ...

Criatividade: 8/10
Eu não estava preparado quando entrei na terceira porta...

Nota:9/10
Perturbadora, extensa e difícil. Um prato cheio para jogadores que se amarram em um desafio.

domingo, 15 de outubro de 2017

Il Maniero Spettrale



Jogo finalizado - uma saída
Emulador usado na review: Snes9x 1.53

Halloween chegando, hora de pesquisar por hacks do gênero. E um dos melhores lugares para achar elas é em contests (concursos), e este é uma das hacks participantes do HLDC (Halloween Level Design Contest) de 2014. Esta hack foi a vencedora do concurso, e digamos que esta hack mereceu vencer, por trazer muita coisa interessante. Acompanhe a review.

O conceito da hack está em libertar as 18 almas dos aventureiros lendários para seu descanso eterno, e para isto Luigi tem que explorar uma mansão assombrada (inclusive o nome da hack está em italiano, e significa "a mansão fantasmagórica"). Ao explorar a mansão, o personagem deve encarar alguns desafios para libertar estas almas, o que inclui salas espelhadas, salas com água, fogo, gelo e prensas, muitas prensas, alem de fantasmas. A hack em si não tem o propósito de ser assustador, mas sim de ser um level estilo metroidvania, onde o jogador explora diversos segmentos de um local para encontrar coletáveis e cumprir missões. Aqui, coletar almas significa pegar as moedas dragão, e uma vez coletada ela, você não precisa voltar para pegar de novo caso você perca uma vida. Além disso, o jogo possui um timer para quem quiser se aventurar a fazer speedrun dessa hack.


A hack é curta, mas para quem não é muito bom de exploração, pode render de 20 a 40 minutos (ou até mais, já que algumas salas são bem desafiadoras de se passar), o que garante um bom gameplay.
Alguns fatores interessantes que chamam a atenção nesta hack são:
1) Gráficos bem caprichados, com uso constante de HDMA, um pouco de reflexo e design que relembra jogos clássicos, como os da série Castlevania;
2) Trilha sonora muito boa, e grande parte combina bem com as salas, alem de existirem certos locais com temas bem iconicos para o estilo de jogo e
3) Jogabilidade, possivel de perceber em diversos segmentos da mansão. Os autores pegaram boa parte dos elementos presentes no super mario world e colocaram nesta hack, como um desafio para pegar as moedas, o que torna esse jogo muito interessante.

Enfim, trata-se de uma hack muito boa, que possui clara inspiração em Luigi's Mansion, porém com elementos de metroidvania. Vale a pena jogar ela, principalmente pela jogabilidade, que é muito boa.

Um aviso antes de jogar a hack: fique esperto, pois trata-se de uma hack de Halloween.
Caso não tenha conseguido completar o jogo, uma dica: verificar o final da hack.

Mais algumas imagens e as notas:




Dificuldade: 3/5
Por se tratar de uma hack estilo metroidvania, é bom ter um ótimo senso de exploração. Algumas almas são bem fáceis de serem deixadas pra trás de maneira despercebida.

Jogabilidade: 9,5/10
O jogo é bem variado nos desafios que ele propõe. Você sempre terá que lidar com desafios diferentes para pegar uma ou outra alma. Com isso o jogo não fica entediante.

Gráficos: 10/10
Os autores capricharam nos gráficos em geral. Muitos efeitos bem diferentes foram explorados, inclusive na sala do piano.

Músicas: 8/10
Muito bons também, mas algumas ficaram um pouco estranhas.

O mapa: 9/10
Bem feito, embora não precise de muito já que é uma fase só.

Criatividade: 8/10
Como não houve muito foco na história, então esse fator não foi tão bem explorado assim. Ainda assim, vale pela intenção e pelas mensagens encontradas por aí.

Nota final: 9,5/10
Disparado uma das melhores hacks de Halloween existentes, embora não tenha elementos comuns em jogos de halloween (como jumpscares). Pra quem gosta de exploração, vai curtir muito esse jogo.