quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Mario is Missing! (Versão Completa)


Autora: Gamma V
Hack completa - 90 saídas (89 no menu) (7 mundos)
Emulador utilizado: Snes9x 1.53

Vocês se lembram dessa hack? Eu fiz uma postagem da versão incompleta dela no mês de Maio e recentemente a sua versão completa foi finalmente submetida a SMW Central, então nada mais justo que eu fizesse essa postagem para o trabalho finalmente completo! Se você estava morando numa caverna durante o mês de Maio e aquela postagem te passou despercebida, nem a procure, fique aqui e continue a ler essa mesmo que não será muito diferente dela.


"Bowser preparou outra armadilha cataclísmica, e o Mario caiu nela direitinho. Com isso, está nas mãos do Luigi salvar o dia!"

Eu havia comentado anteriormente que a história era simples... e nada mudou. Porém, mesmo não sendo raras, é bom ver hacks onde o Luigi é o protagonista.








A hack após ser completada continuou a ser muito bem feita no geral, com poucas diferenças de gráficos desde a versão que postei anteriormente, sendo a mais notável o s gráficos do Luigi que agora são do Super Mario Advance 4 (o SMB3 do GBA). Tirando essas pequenas mudanças, a hack seguiu o mesmo estilo gráfico com vários tilesets feitos pela própria autora e com alguns rips de outros jogos do Mario de SNES.







Os levels são bem legais e não se tornam injustos do nada, então você não terá problemas. Se você é um jogador que gosta de sempre ter pego todas as Yoshi coins em levels, vou te adiantar que as vezes ter um Switch Palace ativado vai ser necessário ao decorrer da hack.

Adendo: a escolha de músicas dos levels da versão completa ficou meio genérica no geral, mas pelo menos elas não são ruins de se ouvir em sentido de qualidade.






Quanto ao mapa, ele é bem feito mas não muito variado, pois não há canos que te levam para outros mundos como um atalho, nem mesmo um mundo bônus... ele é bonito, mas linear. O mais próximo de atalho que o mapa te proporciona é que você pule alguns levels do mesmo mundo quando consegue uma saída secreta de algum level.






Ainda assim é uma hack recomendada. Por mais que o número de exits seja alto, ela não demora muito para ser completada. Como de costume, estou deixando algumas screenshots abaixo antes de dar as notas!







Dificuldade: 2/5
Nada complicado, a hack em geral é fácil. Talvez o último chefe pareça complicado mas bem, é o último chefe, não tem que ser mamão com açúcar seu noob do caral-- desculpa, desculpa.

Jogabilidade: 8/10
Acho que a hack deu uma boa melhorada na versão completa, pessoalmente achei o último mundo bem interessante em termos de design. Fora isso, não há tanta coisa inovadora, mas não vou desmerecer os levels por conta disso.

Gráfico: 8/10
Cenários muito bonitos, variados e o estilo gráfico sempre se manteve consistente com a mistura de gráficos do SMAS e outros desenhados pela própria autora.

Música: 7/10
 Éééééé... mais ou menos, mais ou menos, mais ou menos.
(Como eu mencionei antes, achei a escolha em geral meio genérica)

Mapa: 7/10
Decidi diminuir a nota para a versão completa. Por mais bem feitos que eles sejam, eu os achei lineares demais. A falta de atalhos (para outros mundos) chega a fazer uma certa falta, mas isso é mais uma reclamação pessoal.

Criatividade: 7/10
Mantenho a nota aqui, mesmo considerando que os levels em geral são bons, a hack não tenta algo além de ser o que o "Mario is Missing" original deveria ter sido. Há alguns elementos de outros jogos da franquia Mario, mas não há inovação o suficiente para que eu aumentasse minha opinião na criatividade colocada na hack.

Nota Final: 8,5
Novamente contradizendo as notas anteriores mas visando minha experiência com a hack no geral; eu me diverti com ela e não me desapontei com o produto final. Mantenho minha recomendação para que joguem a hack, pois ela é divertida e vocês não tem o que perder!

domingo, 25 de setembro de 2016

THE LEGENDARY BROS.

Hack Demo: 15 Saídas
Emulador: Snes9X  1.53

''A história começa em um tempo quando Mario e Luigi não conheciam o Reino do Cogumelo.
Peach precisava de ajuda e jogou uma carta ao vento, na esperança de que alguém a encontrasse...''

Essa hack é muito interessante pelo fato de seu plot não ser similar ao de costume, onde Mario e seu irmão devem salvar Peach e o Reino do Cogumelo, e sim, pois essa seria, digamos... a PRIMEIRA aventura dos nossos queridos heróis.
A tela título usa uma estética adorável segundo a minha visão artística, que é o uso de silhuetas. A impressão é que Mario e Luigi REALMENTE são lendários, importantes ou qualquer outra palavra que denomine o quão descolados os dois são.

O jogador ao entrar de cabeça na hack se depara com um mapa muito bonito, cheio de texturas e detalhes. Mario e seu irmão começam a jornada na casa de Yoshi, que como já é de costume, o dinossauro não está no momento.

O único problema dos mapas é que as bordas precisam de mais atenção. Como a hack é demonstrativa, acredito que o autor irá melhorar nesse quesito deixando (quem sabe) com um estilo de mapa do tesouro.
Todos os levels da hack não abandonam o estilo SMB3. Isso porque os gráficos são, em maioria, de autoria da artista Gamma V, conhecida por ter um estilo colorido e bastante amigável.

A dificuldade do jogo é tão fácil que você nem precisa se preocupar com os famosos savestates. O jogador consegue zerar em menos de meia hora, sem nenhuma pressa. 
Uma prova real de que não estou mentindo é que existem praticamente quatro blocos com powerups em cada level. Isso quer dizer que se você conseguir morrer... meu filho, a coisa tá feia pro seu lado.




Mas nem tudo na hack são flores. As vezes, você pode se deparar com erros como paletas mal feitas, layer 3 que cega a visão do jogador, músicas mal escolhidas para o level e vários outros detalhes mínimos que irão ser consertados.

Graças á minha habilidade ancestral ninja da aldeia dos tomates cegos, eu consegui mostrar praticamente todos esses erros nessa foto ao lado esquerdo. Obrigado, Tomate-Sensei.


Dificuldade: 2/5
A hack é muito fácil. 
Se o jogador se atrever a fazer uma espécie de corrida contra o relógio ele zera a hack em menos de dez minutos.

Jogabilidade: 7/10
A hack é bastante linear, não existe muitos quebra-cabeças ou desafios.

Gráficos: 7/10
O autor usou vários gráficos antigos da querida Gamma V. 
O único problema é que eles são tão comuns como colocar um Koopaling de chefe.

Música: 8/10
A trilha sonora tem algumas músicas tão boas que coloquei no meu MP3. 
Algumas delas não combinam com os gráficos, mas mesmo assim continuam boas.

Mapa: 8/10 
O mapa é realmente muito bonito, lembra aqueles mapas de aventura, estilo ''caça ao tesouro''.

Criatividade: 8/10
Quem nunca se perguntou como Mario e Luigi conheceram Peach, não é mesmo?

Nota Final: 7.5/10
É isso aí, galerinha. Se voce gostou da minha análise já deixa aqui o seu like, quero dizer... clique bem aqui embaixo para baixar essa hack bem da loka. XD

Download

domingo, 18 de setembro de 2016

Azure Chaotic

Autor: Azure
Jogo Demo (2 Demo)
Emulador: ZSNES 1.51

Quando você vai procurar uma hack de Super Mario World, todas sempre fazem a mesma receita de bolo, Mario vai salvar a princesa de um vilão maligno, cogumelos espalhados por ai e várias outras coisas inspiradas nas franquias clássicas do nosso querido bigodudo da Nintendo. Porém, está hack é diferente, ela tentou fazer exatamente o oposto, ser algo único e totalmente diferente de qualquer hack que você já viu. Apresento para vocês Azure Chaotic

Começando pela sua historia, ela é um tanto confusa e misteriosa. No mundo de Lunar é o lar de uma raça bem dócil e kawaii chamados panstars, existem 2 panstar que controlamos chamados Cleru e Lucian. Na jornada controlamos principalmente Cleru que procura entender quais são os planos de seu amigo Lucian, enquanto ele se foca a completar seu objetivo sem que ela descubra quais são seus planos. Cleru vai entendendo melhor quais são os planos de Lucian e assim tomando decisões a respeito do que ele está fazendo. A Historia é contada através de cutscenes bem bonitas e interessantes, já que o autor usou de programação avançada para conseguir cria-las.

Deixando a historia de lado agora, vamos ao outro ponto bem chamativo da hack, seu gameplay, ele tem uma física bem diferente do Mario que conhecemos, os personagens correm mais rápido e pulam de uma altura menor, além de possuir habilidades de pular em paredes, durante a fase podemos conseguir Power Ups para melhorar mais sua movimentação, como pular mais alto ou até planar. A jogabilidade consegue ser até fluida em algumas vezes, mas você vai acabar muitas vezes quicando nas paredes que não quer várias vezes ou errando pulos por falta de costume da velocidade, mas nada que vai lhe prejudicar na sua jogatina.

O Objetivo da fase também são diferentes, aqui você precisa encontrar os 4 Aura Crystals (ou Moedas Yoshi/Dragão) que estão espalhados pela fase e alguns deles só usando Power Ups para conseguir pega-los. Pegando todas os cristais basta ir até o cristal maior para assim conseguir termina-la. Por causa desse sistema, a hack tem mais um aspecto maior de exploração, onde você precisa voltando em áreas algumas vezes para conseguir pegar todos os cristais.

Em alguns momentos você poderá jogar com Lucian, que tem mais poderes do que Cleru, podendo atirar, planar e usar dash, além dele não precisa pegar cristais para passar de fase, basta chegar até o final dela.


Para conseguir pegar vidas no jogo, é preciso ir atrás de pequenos cristais semi-quase invisíveis durante a fase, maioria deles você vai pegar na sorte, pegando 5 deles se consegue uma vida. Por causa da hack não ser difícil, dificilmente você vai acabar com todos as suas vidas.

Os gráficos da hack lembram bastante jogos de NES, bem simples e com poucos detalhes, seu mapa foi baseado no mapa de Tetris Attack que ficou bem bacana, no mapa podemos andar livremente para escolher as fases que queremos ir, algo bem legal de se ver.

Suas músicas são bem simples e até nostálgicas, maioria das músicas são calmas e relaxantes, todas as músicas foram importadas pelo próprio autor, que fez um ótimo trabalho trazendo elas para o SMW com uma boa qualidade. Falando de aspectos mais técnicos, o único problema da hack é pela sua repetição e algumas vezes dando slowdown, deixando o jogo mais lento devido a grande quantidades de inimigos.

A hack contem dois finais com duas fases diferentes, recomendo que usem Save Stage na hora de você fazer sua escolha perto do final do jogo, para assim poder jogar nessas duas fases.


Dificuldade: 2/5
Fase com poucas formas de mortes e inimigos com padrões simples que dá para serem derrotados com facilidade.

Jogabilidade: 8.5/10
Movimentação bem legal e fluida de se jogar, com alguns pequenos bugs e algumas partes repetitivas, chega a valer a pena.

Gráficos: 8/10
Bem simples e alguns deles se repetem com frequência, sei que o motivo da repetição é pela sua inspiração a jogos de NES, mas com as possibilidades da era 16 bits poderia ter maior variedade entre eles.

Mapa: 10/10
Bem bonito e bem construido, com a possibilidade de andar livremente no mapa ficou ainda melhor.

Música: 9/10
Relaxantes e emocionantes nos seus momentos certos, maioria delas foram bem portadas e são bem gostosas de ouvir.

Criatividade: 10/10
Principal ponto da hack, todo o conjunto da hack foi bem desenvolvido mas precisa ser melhor polido, mas tudo está indo no caminho certo e está ficando incrível.

Nota Final: 9,2
Azure Chaotic se destaca por ser uma hack diferente de tudo que você já viu, se tornando uma hack única, que infelizmente foi parada no tempo com a sua Demo 2, recomendo que joguem para ver que muitas vezes quase tudo é possível de se fazer no Super Mario World.



quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Moltov Mario World


Autor : Moltov
Hack Completa: (6 Saídas)
Emulador utilizado (Snes9x)


Moltov Mario World é uma hack kaizo que tem uma idéia bastante similar com a primeira Kaizo Mario World, não encontrei a sua data de publicação original, porém achei um vídeo de 2008 se tratando dela.

Hack kaizo antiga sem spam de munchers não
é uma kaizo antiga.
A hack é completamente Vanilla (como de se esperar), sem nenhuma alteração nas músicas ou nos gráficos, contém diversas munchers flutuantes, alguns cutoffs, backgrounds simples ou estranhos, letras com fundo preto no menu, animações bugadas no mapa, paletas que não combinam e por aí vai, se você prestou atenção, de todos os problemas citados anteriormente, todos estão relacionado com a parte da aparência da hack, e não em seu gameplay.

Nas fases, você pode encontrar algumas semelhanças com Kaizo Mario World (principalmente na primeira),onde na maioria delas você é colocado diante de um desafio (shell jump, auto scroll, spin jump...) que é explorado até a fase ser concluida. 




Problema de paletas que havia mencionado
-A dificuldade da hack é bem distribuída, o final se torna muito mais difícil do que os momentos inicias.
-Podemos encontrar algumas caixas de texto durante o gameplay, que geralmente servem para intimidar o player, adicionando um pouco de humor.
-As fases não possuem checkpoints (somente na primeira), porém, eu duvido que você vá jogar uma hack kaizo sem save states, de certa forma, o tamanho das fases fazem com que não seja tão necessário (além de fazer o Mario crescer, podendo tornar a hack mais fácil)






Uma fase com background com cor de Chroma Key
Venho hoje novamente mencionar as mesmas pessoas da review do Kaizo Mario World 2, o Deep que também concluiu essa hack sem perder nenhuma vida, e ao Pai Troll, que com sua série "Desafio From Hell", chamou youtubers para serem desafiados a chegarem o mais longe possível com 30 minutos de tentativas, onde obviamente o uso de save states foi liberado. Essas duas pessoas de certa forma, deram uma certa contribuída em questão de divulgação para o público brasileiro. 








Dificuldade (KAIZO): Media.
Fiquei com bastante dúvida em relação a qual dificuldade escolher, o choque de dificuldade comparando o final da hack com o início, me fez escolher essa nota.

Jogabilidade: 7/10
Para dar essa nota tive que analisar diversos fatores, uma nota 7 resume a mistura de problemas gráficos, qualidades em obstáculos e tempo de publicação.

Gráficos: Vanilla
O padrão do SMW original

Música: Vanilla
O padrão do SMW original

Mapa: 3/10
O mapa só está no jogo pois é obrigatório, chega até a ser engraçado em relação as paletas que foram utilizadas para colorir o solo e as animações místicas que ocorrem quando se concluir uma fase, porém, é algo que certamente não é o foco da hack.

Criatividade: 7/10
Criatividade podemos destacar nos diálogos e no level design, nada muito além disso.

Nota Final: 8/10
Uma hack que possui seus defeitos, que são justificáveis, simples, curta e interessante. Recomendo para aqueles que gostariam de experimentar uma hack antiga.


VÍDEO SOBRE A HACK

domingo, 11 de setembro de 2016

SMW Return to Dinosaur Land

Autor: RAGB
Hack Finalizada (59 saídas) 

Ola Pessoal, aqui estamos nós de novo com mais uma ótima hack Vanilla para vocês. Hoje eu lhes apresento Super Mario World:Return to Dinosaur Land, uma hack que ficou famosa não por gráficos nem por musicas mas sim pela sua jogabilidade.

Vamos começar pela história que aqui é a mesma de sempre de todos os jogos do encanador, Mario e Peach estavam visitando a terra dos Dinos e a princesa foi raptada de novo, e assim começamos uma nova aventura pelas terras dos dinossauros salvando ovos de Yoshis, destruindo castelos e etc.

"Idéias simples, fases criativas"

Return to Dinosaur Land traz uma proposta simples, relembrar os jogadores da nostalgia do Super Mario World original, e podemos dizer que cumpriu muito bem seu papel, o autor trouxe alguns temas de fases inspirados do jogo original, como por exemplo a Yoshi's Island e a Chocolate Island, mas também temos novidades como mundos totalmente de gelo e água.

"Aqui use sua esperteza se quiser a vida e a moeda!"

A criatividade das fases e o level design são a base da hack, pois o autor utilizou ao máximo os recursos vanila para criar fases criativas e idéias novas, utilizando apenas o básico do Lunar Magic.

Não há muitas mecânicas novas, algumas fases foram inspiradas em fases do jogo original, Já outras são idéias que vemos em jogos do Mario em geral.
Mas isso não significa que você não irá se surpreender com coisas novas de vez em quando, por exemplo, há uma fase aonde você esta em um labirinto, mas não pode ver a si mesmo, há uma fase onde o tempo é curto, dentre outras.
Agora vamos as avaliações da hack:



Dificuldade 2/5
A dificuldade é praticamente a mesma do Super Mario World original,essa é uma hack bem tranquila que não requer nenhum save state, além disso você pode salvar seu progresso a cada fase completa. 

Jogabilidade 10/10
A melhor parte dessa hack é a jogabilidade, o level design é muito bom assim como os jogos do bigodudo merecem.

Mapa 8/10
O mapa é parecido, porem diferente do jogo original, tem menos lugares para explorar, onde o autor deu um jeito nisso, em cada mundo há um puzzle que deve ser resolvido para avançar para o Castelo e isso geralmente envolve explorar outras fases para conseguir certo item para passar, não tenho muito o que comentar aqui, é um mapa bem simples,

Musica -/-
Musicas do jogo original

Graficos -/-
Os gráficos também são os mesmos do jogo original, nem mesmo as paletas foram alteradas.

Criatividade 8/10
A hack é bastante criativa em alguns momentos e as fases são divertidas, o autor aproveitou bem os elementos do SMW Padrão e ainda usou alguns que foram inutilizados pela Nintendo, como as moedas vermelhas.

Nota Final: 9
É uma ótima hack pra quem deseja matar a saudade e sentir a nostalgia que o Super Mario World trouxe.

Como eu já havia jogado essa hack no meu canal do Youtube a algum tempo atras deixo abaixo um video com gameplay feito por mim dos primeiros 15 minutos da hack.



Abaixo o link de Download, não perca tempo e baixe agora mesmo!


Download




terça-feira, 6 de setembro de 2016

A Yoshi's Story


Autor: CaptainDazz
Hack finalizada - Um level
Emulador usado: zsnesw v1.51
Não funciona bem em outros emuladores por causa de custom music.

Vamos então a uma hack com yoshi, um personagem icônico conhecido desde o Super Mario World. Nesta hack, seu objetivo é atravessar uma caverna e chegar ao outro lado. Bem simples, não? Nem tanto, porque a coisa fica agravante a medida que você avança pelo level.

Trata-se de uma "mini" hack, que de mini não tem nada, a não ser a quantidade de levels que tem no mapa. Trata-se de algo em torno de 36 sublevels neste pequeno level, e, como na época em que a hack foi lançada não havia sido implementado o patch de multiplos midway points (ou vários "meios", como diz o Lester), então se morrer em qualquer um desses sublevels, mesmo que seja no final da fase, implica em começar tudo de novo.

Por conta da quantidade de sublevels, o jogo acaba cometendo uma falha extremamente perceptível: é repetitivo. O autor usou os backgrounds várias vezes, e o level design não tem tanta variação. Tanto que em diversas ocasiões você se encontra passando de novo por sessões de lava, mazes com blocos e de pulos em plataformas acima do abismo mortal.
O autor escolheu bem as músicas do jogo, embora ele tenha repetido muitas delas algumas vezes, o que pode deixar o jogador cansado de ouvir a mesma coisa por muito tempo. Temos músicas de yoshi's island, megaman clássico, touhou e cave story nesta hack.

O mapa ficou razoável, mas não muito criativo, pois percebe-se apenas um tipo de terreno nele, e algumas pedras próximas e em torno do level. Talvez não houve muito foco nele porque é uma hack de um único level...?

Enfim, neste jogo o savestate acaba sendo um grande aliado, pois ele pode funcionar como midpoints alternativos. Com ele, a hack fica bem tranquila de se jogar, e com a possibilidade de deixar parte do jogo pra depois, não fica tão cansativa e repetitiva assim.

Algumas screenshots aleatórias:

Meus olhos agradecem pelo balanço de cores.

Farm de vidas yey

Dificuldade: 3/5
O jogo não é difícil, embora seja longo e repetitivo.

Jogabilidade: 6/10
Por ser repetitivo, não dá pra aproveitar tanto da hack assim. Em alguns casos, acabei rushando para terminar logo alguns sublevels.

Gráficos: 7/10
Boas, mas acabaram sendo repetitivas também.

Músicas: 8/10
As escolhas foram boas em geral.

O mapa: 6/10
Sem muita criatividade, com apenas um tipo de terreno usado.

Criatividade: 7/10
A história acaba sendo bem simples, e não há uma motivação boa o suficiente para atravessar um jogo tão longo.

Nota final: 7/10
Hack boa, mas sofre da ausência de midpoints e de ser longo demais.





domingo, 4 de setembro de 2016

Como jogar as hacks do blog (.ips)

Hoje temos para mostrar um tutorial para tirar de vez as dúvidas daqueles que possuem dificuldades em jogar as hacks daqui do blog, se trata de um vídeo de apenas 1 minuto e meio de duração mostrando como jogar hacks que possuem o formato ".ips". Já possuía um tutorial escrito sobre isto, porém, um vídeo acaba sendo mais prático e rápido.