domingo, 19 de fevereiro de 2017

Super Mario: Grand Journey

Autor: RZIBARA
Hack Demo: 15 exits
Emulador usado: Snes9x 1.53

"Após quebrar o barco em uma ilha desconhecida, os irmãos logo perceberam que era mais
uma nova aventura para destruir a famosa Koopa Troopa"

Apesar de possuir um nome sugestivo para uma possível presença de um meme, Grand Journey apresenta ao público uma ilha misteriosa e cheia de perigos em uma demo caprichada. Não se engane com suas 15 saídas: essa jornada pode se tornar mais longa do que você imagina!
Isso porque ela abusa do fator exploração. Sim, meus amigos. Esqueça aquela velha ordem chata entre castelos como no antigo SMW pois aqui você escolhe o seu próprio caminho! Para você pegar a idéia, imagine que você está em uma floresta com um facão e vai abrindo caminhos sem saber aonde está indo, descobrindo terras novas e vários perigos.

 "Sua aventura começa bem aqui!"

Uma coisa que eu gosto em jogos vanilla atuais é que sua estética está cada vez mais caprichada. E em se tratar de hacks desse gênero, é sempre bom o autor manter um diferencial. Por aqui, é importante destacar o fato que o próprio autor está adicionando sombreamento nos sprites, tornando ele bem mais vivos e interativos. A trilha sonora é outro ponto forte, usando remixes do jogo original e de outras franquias, como... Castlevania. E isso é estranho pelo fato do arranjo do port ser surreal pra um jogo vanilla. Você vai perceber essa mudança na fase do castelo e de quebra, na luta contra o boss. Mas fica tranquilo que isso não atrapalha muito não, viu? Só é uma música super alta se comparada ao resto, nada demais.

 "Yoshi? Cadê você, guri?"

Mas nem tudo são flores. Como a hack não é linear, a dificuldade também não. O primeiro level é barbada, o segundo também, mas a terceira fase já complica bastante. Isso porque em um momento da jogatina eu me deparo com uma situação muito louca onde tenho que ir saltando em blocos de nota musical enquanto desvio daquelas coisas que parecem piolho de cobra ou cupim de petróleo. Se não fosse o meu stand chamado The Savestate, meu futuro seria trágico.
E eu achando que não tinha nenhuma fraqueza...
Outro fator que me deixou bolado é que algumas fases você precisa fazer a mesma coisa o level inteiro. Como se não bastasse, o autor proibiu o jogador de fazer aquele esquema delicioso de entrar em um level que você já passou, pegar um cogumelo ou Yoshi e apertar um start+select. Sabe o que isso significa? HARDCORE MIL GRAU - EMOÇÃO PURA EDITION.





"E foi aqui, meus filhos, que eu usei o meu stand pela primeira vez..."

Dificuldade: 4/5
Quando você achar que está ficando fácil, a coisa fica hardcore. Prepare o seu STAND, meu amigo, pois você vai precisar uma ORA.

Jogabilidade: 6/10
Ela pode ser até divertida, mas se torna maçante em alguns momentos. Quando você se deparar com um quebra cabeça nessa hack sua vida nunca mais será a mesma.

Gráficos: 7/10
Como o jogo úsa os gráficos originais, não tenho nada á acrescentar por aqui. O diferencial são as cores usadas nos levels e os inimigos com sombreamento.

Músicas: 8/10
A trilha sonora é muito boa, mesmo que alguns levels não combinem com elas, afetando a sua atmosfera. Ainda quero saber qual é o nome daquela música da Yoshi House...

Mapa: 7/10
Um mapa bem construído, mas sem muitas novidades. Não aparenta ter erros de proporção e seus "biomas" estão bem separados. Variedade aqui é bem comum.

Criatividade: 6/10
Levando em conta que a história é vaga, a unica coisa que resta são os objetivos de destruir os castelos inimigos e é claro, a exploração.

Nota: 7/10
Uma ilha desconhecida com direito a exploração e momentos de desespero e aflição. O que você está esperando? Clique bem aqui no Zelda link e divirta-se!

domingo, 12 de fevereiro de 2017

new.sfc


Autor: danwaleby
Jogo Finalizado (1 Saida)
Emulador Utilizado: Snes9x

Eu poderia começar essa review como sempre faço, mas dessa vez a review vai ser um tanto quanto diferente. O motivo disso é porque a hack é bem estranha, tipo muito estranha, tanto que nem eu tenho ideia do que falar sobre essa... ah... COISA CABULOSA.

Quando fui entrar no SMW Central hoje para pegar uma hack para fazer review, me deparo com um nome de hack um tanto estranho: new.sfc

Olhando as imagens da hack ela parecia uma hack de terror e ambientação, pelo fato das fases serem escuras e Mario carregar um revolver, gêneros desse tipo costumam chamar minha atenção já que sou um fã de jogos em terror em geral.


Pela descrição que o autor deu para a hack, a hack começava assustadora e depois virava um puzzle. E quando eu finalmente fui jogar a hack para ver o que diabos é essa bagaça, descobro que a hack não é de terror e nem é puzzle! WOWOWOOWOWOWOWOOWOW


Pior que a hack realmente é terrível, a fase não toca música, tem parte com erro de gráfico, Mario pega umas "cervejas" para poder ficar atirando mó locão pela fase (deve estar bêbado mesmo para ficar dando pirueta atirando com revolver), olhando melhor para o Mario, dá para perceber que ele está com a expressão:"tanto faz o que to fazendo aqui, só quero ir em bora". Tu não tem ideia do que está jogando, você poderia estar fazendo algo mais importante da sua vida do que jogar essa hack.

(Mario é tão daora que atira com o revolver com o Yoshi)


A hack parecia ter historia mas acho que o autor nem pensou em fazer isso, já que no próprio nome da hack o autor não teve criatividade.

Eu sei que domingão vocês querem jogar hack daora, bem divertida e tudo mais, mas de vez em quanto aparece essas coisas bizarras por aqui (desculpem)

Bem, vamos as notas, já que isso é uma review, então precisamos avaliar alguma coisa e-e



Dificuldade: 2/5
  Caso você morra durante a jogatina (no jogo, não na vida) não tem checkpoint, então save states são até obrigatórios. A bastante "cervejas" na jornada, então tu consegue passar pelos desafios de boa.

Jogabilidade: 5/10 
 Quartos são super pequenos para se movimentar, não tem música, poderia ter blocos de teleporte para não ficar entrando em canos, a hack tem moedas mas coletar elas é inútil já que tu não ganha vida..... Tem tantos problemas nessa hack que nem sei o porque to postando ela aqui.

Pelo menos é legal brincar de papaco com o Mario (+1 ponto)

Gráficos: 6/10
 Muito preto. (sem racismo)

Músicas: ?/10
 Não tem música na hack.... Unica coisa que vai ouvir é o tiros do revolver do Mario mesmo.

O mapa: ???/10
Preto

Criatividade: 5/10
  O maior desafio é pensar o porque o autor criou essa hack.

Nota Final: 5.5/10

 Sempre pensei que Resident Evil a dor e o medo 2 era umas das piores hacks já feitas... Mas tudo pode ser superado um dia.

Eu nem ia colocar o link para download da hack porque não quero contaminar vocês com esse tipo de coisa, mas vamos lá:

Download.

Não se preocupem, próxima hack deve ser melhor.
 

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Super Mario Odyssey



Autor: Rusted ROM Hacks
Hack Demo: 20 saídas
Emulador usado: ZSNES apenas
             êêêêêêê, chegou um novo redator na área! Oi, galera, eu sou o Vitesco, e estarei fazendo algumas reviews aqui nesse blog (não, capaz, vou fazer é pipoca aqui), espero que gostem!
 Enquanto não podemos jogar os novos jogos da Nintendo, voltemos um pouco ao passado (mas BEM passado) das ROM hacks, lá em 2004, para conferir uma hack um pouco vidente. Este, senhoras e senhores, é Super Mario Odyssey.
Vamos a história, que por sinal é muito bem contada e não é apenas um “filler”, como uma grande parte das hacks por aí:

“Um ano após os acontecimentos de SUPER MARIO WORLD, Mario e seus amigos se mudaram para outra ilha, longe de Bowser e seus minions. 
Pelo menos, era o que eles achavam...”

Sim, isso é um quadro da hack
O quadro que viram acima é um dos vários exemplos de como essa hack consegue se superar a cada cena. Os gráficos são INCRÍVEIS para a época, melhores que muitas hacks atuais por aí. 
Você perceberá de primeira vista um Overworld que aparenta ser vanilla, mas não se engane. Logo nos 3 mapas seguintes nos deparamos com belos gráficos e que combinam muito com as fases (ou talvez sejam as fases que combinem com o overworld, nunca saberemos...). Por algum motivo, todas as fases possuem a mesma marcação “amarela”, sendo quase que impossível distinguir as fases com um saída das de duas saídas.


Carry on my wayward son!

As músicas infelizmente são vanilla, tanto do Overworld como das fases. Até que é normal para a época em que a hack foi feita, mais uma vez, mas seria muito bom se a hack tivesse sido continuada e chegado a esse nível de músicas custom.

As fases em si são muito bem construídas, e há alguns blocos customizados espalhados aqui e ali. É raro ter uma seção em que você fique entediado. Uma seção que eu achei bem interessante é essa, em que você voa com a pena pelo espaço sideral e desvia dos cometas.

~Notas~

Dificuldade: 3/5
A hack tem uma curva de dificuldade bem estranha, e algumas partes podem fazer com que ela se torne uma onda, mas considerando a média entre as fases, dou um “médio”.

Jogabilidade: 9/10
Você encontrará mecânicas bem interessantes e que se baseiam no próprio jogo original, mostrando que não é preciso blocos especiais ou sprites novos para se ter uma ótima variedade de mecânicas.

Gráficos: 9.5/10
Indescritível! É incrível como o autor, naquela época, conseguiu fazer gráficos como os das cutscenes tão lindos.

Música: Vanilla
É uma pena que não tenhamos músicas customizadas na hack. Mesmo assim, a hack não deixa de ser ótima e o autor chegou a mudar os padrões de música, como colocando uma música aquática em um cenário de céu.

Mapa: 9/10
Os gráficos utilizados ficaram ótimos e a história se acompanha muito agarrada a esse aspecto da hack.

Criatividade: 9.5/10
A história é muito bem contada e o Overworld contém vários pontos de “A história até aqui”, onde o enredo vai se desenvolvendo muito bem. Além disso, a questão das mecânicas mencionado acima eleva um pouco essa nota também.
NOTA FINAL: 9.5/10
Uma hack incrível hoje em dia, e que receberia um 10 se a review fosse feita em 2005 ou 2006, mas que infelizmente foi cancelada e temos que nos contentar com essa Demo 2. Segue o download: